Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

POESIA ÀS ESCONDIDAS

Poemas escritos por António Só

Poemas escritos por António Só

Ofício de poeta

Será o fim ou fase do princípio,

Deitar ao rio as pedras que esculpi?

Chego-me tão perto ao precipício,

Mas olho pelo ombro o que perdi.

Os plátanos da infância, aquele dia,

Que a claridade pura era divina,

É esta a cor, da infância, na poesia,

Que quero, transparente e cristalina.

 

Arda-me o fogo vivo até que tombe,

Em ti, mágico, creio, ó arquitecto,

Das coisas belas, meu portão arrombe.

Que universo existe num objecto!

Floresce a mais singela e pobre linha

Dou-me ao colorido deste mundo

Verta o licor sagrado que da vinha

Vem, neste palácio, meu profundo.

 

Pondera, coração, não sejas triste

Tristeza para a alma, é um veneno

Com a Beleza, alegra-te, resiste:

Floresce nesse teu rubro terreno.

Ouve as canções das árvores nas folhas

Efervescente quando o vento passa

Os peixes que, na água, fazem bolhas

Contempla, em cada flor, a sua graça.

 

Como o jovem falcão no seu baptismo,

De voo perigoso, audaz, se lança,

Ganhando nas alturas seu lirismo

Valiosa independência e confiança,

Assim me quero, sempre que me lanço,

Deste monte poético, que exprima,

Aquilo que incapaz sou de dizê-lo

Capaz só no papel branco, na estima

E possa alguém sensível vir a lê-lo.

 

O que de mim seria se não fosse,

Das coisas belas, límpidas, amante

Mistério que no tempo revelou-se

Uma tortura ser-me interessante

Ouvir-te, ó mar eterno que costumas

Tornar escura a clara e fina areia

Ver o sol vencer névoas e brumas

Ver maravilhosa, a Lua cheia.

 

Mas quando atingirei a perfeição,

Se é coisa cá na terra ainda possível,

Soltar a voz presa no coração

Mesmo que digam ser coisa impossível?

Aquela sintonia harmoniosa,

Aquela solidão que vale a pena,

O esforço que da pena rigorosa

Muito me ajuda na vida terrena.

 

Serve-me de aguarela meu poema

De magro prémio de consolação,

Na alma, uso lapela, bela emblema,

Saber se realidade ou ilusão

Se vivo morto ou durmo acordado

Se amor é fantasia, mito ou lenda

Ah, véu oculto, não ver-te rasgado

Porque não espero que haja alguém que entenda.

1 comentário

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2006
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2005
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D