Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

POESIA ÀS ESCONDIDAS

Poemas escritos por António Só

Poemas escritos por António Só

a loja de Circe

a infância a adolescência foram embora
como gatos selvagens fogem das carícias
porém, a vida dura é maga professora
ergue-nos altos muros no seu santo ofício!

que desassossego é não ter desassossego
combustível no verso a dar-se combustão
explosão de luz e cor defronte deste cego
a vida nunca veio comer à minha mão

a solidão crescente em cada livro lido
onde o silêncio existe num jardim secreto
doce lar que posso caminhar despido
onde não há ninguém que grite ‘branco’ ou ‘preto’

há quem nos queira ver atrás de grades sem
poder sentir a frescura da liberdade
escondidos, os melhores frutos apodrecem
na verdade, é esse o hálito da Verdade

eu sou o papel atirado da janela
que passa esvoaçante e na rua rodopia
em pânico; no mar, sou dúctil caravela
que naufragou na Ilha trágica de Circe

tudo é cilada, engodo, fútil armadilha
não é ladrão no parque escuro o sem abrigo
preciso a intimidade de viver na ilha
das árvores que dão sombra como amigos

não peço nada mais que ser tranquilo e digno
prisioneiro de guerra com sorte e tabaco
intacto expansivo levado no destino
condecorado e depois viver num buraco

aproveitasse o voo aflito da borboleta
ou saltitasse na água igual ao alfaiate
pois amanhã estaria a porta entreaberta
para a vida onde existe tudo em toda a parte

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2006
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2005
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub